CEO

CURSO TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL

 

CURSO TECNICO CEO1 (1)

O desenvolvimento de ações para a promoção da saúde bucal, bem como da saúde integral, no âmbito público e/ou privado, são relevantes para a maximização da qualidade de vida das pessoas.
Assim sendo, técnicos em saúde bucal são fundamentais no desenvolvimento de ações que buscam coletivamente, através da educação em saúde, inibir fatores que cooperam para aumentar a demanda de doenças bucais.
Deu inicio no dia 01.04.2016 o CURSO TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL, que privilegia os 8 municípios da serra da Ibiapaba, com o apoio total do consórcio de saúde pública da serra da Ibiapaba, da 13ª CRES – Tianguá, prefeituras e secretarias municipais de saúde e supervisão da escola de saúde da Família Visconde de Saboia. Este curso profissionalizará 35 alunos(as) no final de 02 anos aumentando a qualidade no atendimento na saúde bucal.
   CURSO TECNICO CEO (8)
Atividades do Técnico em Saúde Bucal

 

CNPCO – art. 12. Compete ao técnico em saúde bucal, sempre sob supervisão com a presença física do cirurgião-dentista, na proporção máxima de 1 (um) CD para 5 (cinco) TSBS, além das de auxiliar em saúde bucal, as seguintes atividades:
a) Participar do treinamento e capacitação de auxiliar em saúde bucal e de agentes multiplicadores das ações de promoção à saúde;
b) Participar das ações educativas atuando na promoção da saúde e na prevenção das doenças bucais;
c) Participar na realização de levantamentos e estudos epidemiológicos, exceto na categoria de examinador;
d) Ensinar técnicas de higiene bucal e realizar a prevenção das doenças bucais por meio da aplicação tópica do flúor, conforme orientação do cirurgião-dentista;
e) Fazer a remoção do biofilme, de acordo com a indicação técnica definida pelo cirurgião-dentista;
f) Supervisionar, sob delegação do cirurgião-dentista, o trabalho dos auxiliares de saúde bucal;
g) Realizar fotografias e tomadas de uso odontológicos exclusivamente em consultórios ou clínicas odontológicas;
h) Inserir e distribuir no preparo cavitário materiais odontológicos na restauração dentária direta, vedado o uso de materiais e instrumentos não indicados pelo cirurgião-dentista;
i) Proceder à limpeza e à antissepsia do campo operatório, antes e após atos cirúrgicos, inclusive em ambientes hospitalares;
j) Remover suturas;
k) Aplicar medidas de biossegurança no armazenamento, manuseio e descarte de produtos e resíduos odontológicos;
l) Realizar isolamento do campo operatório; e,
m) Exercer todas as competências no âmbito hospitalar, bem como instrumentar o cirurgião-dentista em ambientes clínicos e hospitalares.

 

CURSO TECNICO CEO (7)  CURSO TECNICO CEO (3)